O que fazer de graça no Rio de Janeiro

postado em: Rio de Janeiro | 0
O que fazer de graça no Rio: Parque do Penhasco Dois Irmãos

Eu moro no Rio de Janeiro desde que nasci e sou suspeita para falar da cidade. Amo demais e acho que se trata de um dos melhores lugares do país para se visitar, pois as opções são variadíssimas. Tem praias, festas de todos os estilos, bons shoppings, bares e restaurantes de qualidade, trilhas para diversos gostos, parques, espaços culturais excelentes etc. E o melhor: são muitos programas grátis. Confira abaixo o que fazer no Rio de graça. Alguns tópicos têm um texto correspondente bem detalhado. Basta clicar no link, ok? E este post vai ficar em constante atualização. Quem tiver sugestões pode mandar, hein!

Parque do Penhasco Dois Irmãos:

Localizado na Rua Aperana, que fica próxima à Visconde de Albuquerque, no Leblon, o parque tem entrada gratuita e estacionamento idem. Dá para acessá-lo também por trilha curta e sem dificuldades. A vista para as praias da Zona Sul é de tirar o fôlego.

Mirante do Leblon:

Dá para combinar o passeio pelo Mirante do Leblon com a ida ao Parque do Penhasco. O mirante fica na Avenida Niemeyer, a cerca de 20 minutos a pé da Rua Aperana. O deque de madeira é bem espaçoso e a vista, claro, muito bonita. Há alguns quiosques no local.

Cachoeira do Horto:

Uma das mais visitadas da cidade. Tem um poço grandinho e uma queda d’água que garante um banho muito gostoso. Conta ainda com uma área para sentar e relaxar. Dá para chegar tranquilamente com o ônibus da linha 409 (Saens Peña x Jardim Botânico). Depois de saltar, continue subindo a Estrada do Horto até a entrada da cachoeira. Melhor ir cedo e evitar os finais de semana para encontrar o local mais vazio.

Quinta da Boa Vista:

Um dos maiores parques urbanos do Rio, com 155 mil metros quadrados, foi residência oficial da família real de 1808 até a Proclamação da República, em 1889. Localiza-se em São Cristóvão, bem perto das estações de trem e de metrô do bairro. Abre todos os dias, a partir das 10h.

O que fazer de graça no Rio: Pedra do Telégrafo
Pedra do Telégrafo

Pedra do Telégrafo:

Você já deve ter visto várias fotos como esta aí, né? A Pedra do Telégrafo, em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste, tornou-se um dos cartões postais do Rio de Janeiro e tem atraído visitantes em busca de registros interessantes. A trilha até este ponto é tranquila, mas não tão curtinha. No link, você descobre como chegar.

Arcos da Lapa:

Considerada a obra arquitetônica de maior porte do período colonial. Pelos Arcos, passa o famoso Bondinho de Santa Teresa. Se for no fim de semana, encontrará o espaço cheio de barraquinhas e com muita gente circulando.

Escadaria Selarón:

Fica na Rua Joaquim Silva, a cinco minutos dos Arcos da Lapa. Obra do artista plástico chileno Jorge Selarón, é feita com azulejos de todas as partes do mundo. Rende aquela foto bacanuda para o Instagram 😉

Feira do Rio Antigo:

Acontece na Rua do Lavradio, bem perto dos Arcos da Lapa, todo primeiro sábado do mês, pela manhã. Sempre rola uma roda de samba e o clima é uma delícia.

Parque das Ruínas:

É uma das partes mais bonitas de Santa Teresa. Com entrada grátis, tem vista para a Baía de Guanabara. É bom ficar atento à programação cultural no Facebook oficial. Tem rolado roda de samba às sextas-feiras à noite. Bom demais, né? Abre de terça a domingo, das 8h às 18h. Endereço: Rua Murtinho Nobre 169. E aqui vai uma dica esperta: experimente pegar o bondinho próximo à estação de metrô Carioca e suba até Santa Teresa. Após dar uma volta por lá, desça e aproveite a Lapa.

O que fazer de graça no Rio: Parque das Ruínas
Parque das Ruínas

Mirante do Rato Molhado:

É um ponto meio escondido de Santa Teresa, também com uma vista magnífica do Rio. Subindo pelo próprio bairro, vá pela Rua Aprazível. Se for pelo Catete, pegue primeiro a Rua Pedro Américo e, em seguida, a Rua Francisca Andrade.

Pedra do Sal:

É patrimônio cultural do Rio e foi tombada em 1984. Berço do samba, recebe rodas com frequência. Elas rolam tracionalmente às segundas (sem aparelho de som, só no gogó) e sextas-feiras (com som), sempre com início por volta das 19h. Às vezes há grupos que se apresentam nos sábados à tarde. Fica na Rua Argemiro Bulcão, bem pertinho do Largo São Francisco da Prainha.

Pedra do Arpoador:

O ponto mais tradicional do Rio para assistir ao pôr do sol. Na altura da Rua Francisco Otaviano com a Avenida Vieira Souto, em Ipanema. Ah, e vale, claro, percorrer as praias da Zona Sul: Leme, Copacabana, Ipanema e Leblon.

O que fazer de graça no Rio: Instituto Moreira Salles
Instituto Moreira Salles

Instituto Moreira Salles:

Tem entrada e estacionamento gratuitos e está localizado na Gávea. O espaço oferece exposições de arte e conta com um jardim lindo. Passeio agradável para crianças e casais. Quem quiser pode aproveitar para tomar café da manhã ou almoçar no restaurante Empório Jardim. Dá para pegar um cineminha por lá também. Na programação, filmes pouco badalados, mas excelentes.

PRECISA DE UM CARRO PARA CIRCULAR PELO RIO? COMPARE PREÇOS E RESERVE

Mureta da Urca:

Firmou-se como um dos principais points dos cariocas. Muito frequentada principalmente nas tardes de sábado e domingo. A parte mais cheia é a localizada em frente ao Bar Urca, que tem preços um pouco salgados. Por isso, bastante gente migrou para um trecho que ficou conhecido como Pobreta (Avenida Portugal, em frente à cabine de polícia). Lá estão os bares mais baratos.

O que fazer de graça no Rio: Pedra do Pontal
Pedra do Pontal

Pedra do Pontal:

Fica no fim da Praia do Recreio. A trilha até o topo dura entre 20 minutos e meia hora. No trecho final, é necessário recorrer a uma corda para subir. Mais uma vista fantástica da cidade.

Arco do Teles:

Localizado no Paço Imperial, perto da Alerj, é palco de eventos variados. Às quintas, a tradicional roda de samba do grupo Samba de Lei. Aos sábados, às vezes tem samba ou então surgem festas de música brasileira. Tudo na rua, de graça, com venda de bebidas nos bares do entorno ou com ambulantes. Ao lado, na esquina da Rua do Mercado com a Rua do Ouvidor, tem o Samba da Ouvidor aos sábados (fique atento à agenda no Facebook) e, às quintas, ocasionalmente acontece o Forró de Rabeca.

O que fazer de graça no Rio: Museu do Amanhã
Museu do Amanhã, na Praça Mauá

Praça Mauá e Orla Conde:

Depois das obras de revitalização, ficou bastante prazeroso visitar essa área do Centro do Rio. O acesso está bem fácil com o VLT (veículo leve sob trilhos). A orla começa no aquário AquaRio e segue pela linha do VLT. De um lado, galpões (onde às vezes rolam festas gratuitas), do outro, murais maravilhosos, como o Etnias, desenhado pelo artista brasileiro Eduardo Kobra. Chegando à Praça Mauá, é possível notar que muitas pessoas aproveitam para andar de patins, patinete, skate etc e se deliciar nos foodtrucks. Sem falar no lindíssimo Museu do Amanhã, né?

Museu da República/Palácio do Catete:

O Palácio do Catete abriga o Museu da República, onde acontecem várias exposições. Lá funciona ainda um café e o visitante pode relaxar num belíssimo jardim. A entrada é franca às quartas e aos domingos (nos outros dias, R$ 6). Dependendo da exposição, não há cobrança de ingresso. O museu, na Rua do Catete 153, funciona de terça a sexta, das 10h às 17h e sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Já o parque tem acesso liberado todos os dias, das 8h às 18h ( o portão da Praia do Flamengo fica fechado no fim de semana).

Praia Vermelha:

Outro ótimo passeio para se fazer de graça no Rio. A praia tem um calçadão pequeno com alguns quiosques. Do lado direito, o Clube Militar da Praia Vermelha e, do esquerdo, a Pista Cláudio Coutinho, de onde se tem uma linda vista do mar.

Morro da Urca:

Engana-se quem acha que só rola subir de bondinho. Existe uma trilha a partir da Pista Cláudio Coutinho que leva ao topo. Ela tem muitas escadas e pode ser feita em cerca de 40 minutos.

O que fazer de graça no Rio: Aterro do Flamengo
Aterro do Flamengo

Aterro do Flamengo:

Perfeito para corridas, caminhadas e piqueniques. Um ótimo ponto para reunir a família e os amigos é na altura da churrascaria Assador Rio’s. Linda vista para o Pão de Açúcar.

Praia do Secreto:

Tem 12 metros de extensão e está localizada entre a Praia da Macumba e a Prainha, na Zona Oeste do Rio. É uma piscina natural sensacional cercada por pedras (depende da maré). De carro, siga pela Estrada do Pontal em direção à Prainha e pare no recuo em frente à trilha ou então no Mirante da Prainha logo em seguida. Não há sinalização, mas é fácil saber onde começa o caminho. São só cinco minutos andando.

O que fazer de graça no Rio: Mirante Sacopã
Mirante do Sacopã

Mirante Sacopã:

Fica no Parque da Catacumba, na Lagoa. Sem custo para entrar e com trilha fácil.

São Salvador:

A famosa praça de Laranjeiras não para nunca. É um dos lugares preferidos da boemia carioca. O tradicional chorinho acontece aos domingos.

Bosque da Barra:

Funciona de terça-feira a domingo, das 7h às 17h. O acesso é pela Avenida das Américas, logo depois da saída da Avenida Ayrton Senna. Espaço amplo para quem gosta de fazer piquenique. Além disso, há várias alamedas arborizadas, ideais para a prática de corrida e caminhada. É possível ainda observar jacarés de papo amarelo nos lagos, além de várias aves. O parque também tem brinquedos, equipamentos de ginástica e estacionamento grátis.

PRECISA DE HOTEL NO RIO? CONFIRA AS OPÇÕES

Praia da Reserva:

Fica numa área de proteção ambiental, entre a Barra da Tijuca e o Recreito dos Bandeirantes. Tem oito quilômetros de extensão e é muito bonita. m certos trechos, há quiosques, sendo o mais famoso deles (e caro) o Pesqueiro Gourmet. Recomendo chegar cedo para conseguir parar o carro nas vagas disponíveis em frente à faixa de areia.

O que fazer de graça no Rio: Praia da Joatinga
Praia da Joatinga

Praia da Joatinga:

Uma das mais belas praias do Rio de Janeiro, na Estrada do Joá, que liga São Conrado à Barra da Tijuca. É preciso descer por uma trilha rápida até o mar. A faixa de areia varia conforme a maré.

Grumari:

Uma das praias preferidas dos surfistas. É bem tranquila e lindíssima, mais selvagem. Tem espaço para parar o carro, mas, se chegar tarde no fim de semana, provavelmente não conseguirá.

Real Gabinete Português de Leitura:

Uma das joias do Centro do Rio, com 350 mil obras de autores portugueses. Fica na Rua Luís de Camões 30 (mais próximo da estação de metrô Uruguaiana) e abre de segunda a sexta, das 9h às 18h.

Mosteiro de São Bento:

Fundado em 1590 por dois monges portugueses, o mosteiro, no Centro do Rio, impressiona pelos detalhes. Trata-se de uma construção imponente, um dos principais monumentos do barroco luso-brasileiro. Ele está aberto ao público diariamente, das 6h30 às 18h30. De VLT, basta descer na estação São Bento (vindo do Aeroporto Santos Dumont). De metrô, salte na estação Uruguaiana e caminhe por 15 minutos. Há estacionamento gratuito no local.

Vista Chinesa:

É um monumento construído no início do século 20 em homenagem aos chineses. E é vista que você quer? Então fica aqui a dica de mais uma. De lá dá para ver a linda Zona Sul. Para fazer fotos, é melhor chegar bem cedo. Tem gente que vai quando o sol está nascendo. Porém, o lugar costuma registrar assaltos. No fim de semana, tem policiamento. Então, melhor pensar bem quando ir e escolher um horário de maior movimento, né? Dá para chegar de carro. O endereço é Estrada da Vista Chinesa 1294, Alto da Boa Vista. Se for a pé, saiba que é uma trilha pavimentada, porém íngreme. Bicicleta pode ser uma boa.

O que fazer de graça no Rio: Vista Chinesa
Vista Chinesa

Feira das Yabás:

No segundo domingo de cada mês, acontece a feira no bairro de Oswaldo Cruz, na Zona Norte. São várias barraquinhas com comidas deliciosas – como feijoada, vatapá, bobó de camarão – e sempre um excelente show de samba. É na Praça Paulo da Portela.

Viaduto de Madureira:

O que fazer de graça no Rio para quem quer se acabar de dançar? O tradicional Baile Charme, sempre aos sábados, às 22h. Na Rua Carvalho de Souza, em Madureira.

Parque dos Patins:

Na Lagoa Rodrigo de Freitas, um dos cenários mais exuberantes do Rio. Leve bike ou patins e aproveite.

O que fazer de graça no Rio: Mirante Cascatinha
Mirante da Cascatinha

Parque Nacional da Tijuca:

Tem diversas trilhas, com diferentes níveis de dificuldade. Se quer algo fácil, visite a cachoeira Cascatinha e depois suba por uma trilha que dura de dez a 15 minutos ao Mirante da Cascatinha. Entrada e estacionamento gratuitos. O acesso é pela Praça Afonso Viseu, no Alto da Boa Vista.

Parque Lage:

Fica na Rua Jardim Botânico 414, aos pés do Morro do Corcovado. Funciona diariamente, inclusive nos feriados, das 8h às 17h (durante o horário de verão, até 18h). O espaço é lindo, cheio de palmeiras imperiais. A galera ama fazer piquenique por lá. Na principal edificação do local, um casarão do século 19, funciona a Escola de Artes Visuais. No pátio central da mansão, à beira da piscina, está o Bistrô Plage, muito procurado para café da manhã.

Mirante do Arvrão:

Fica numa parte bem alta do Morro do Vidigal. Dá para subir de carro até bem pertinho, mas o ideal é ir de mototáxi. A comunidade é pacificada, mas é melhor conferir como está a situação antes.

O que fazer de graça no Rio: Mirante Dona Marta
Mirante Dona Marta (era carnaval, tá, gente? rs)

Mirante Dona Marta:

De lá é possível ver o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, o Maracanã, a Baía de Guanabara e a Lagoa Rodrigo de Freitas. Também fica perto de comunidade, então, todo cuidado é pouco. De carro, o acesso é pelo bairro Cosme Velho. Siga pela Ladeira dos Guararapes, na direção do Corcovado, até avistar uma placa do mirante. Há estacionamento grátis no local. A pé, é necessário subir até o topo do Morro Dona Marta (tem elevador) e seguir por uma trilha íngreme que dura de 30 a 50 minutos.

Pedra da Gávea:

Para os fortes. Trata-se de uma trilha superextensa que tem um trecho perigosíssimo, conhecido como Carrasqueira. É uma subida num paredão, que muita gente faz sem qualquer equipamento. O ideal, claro, é ir com alguém mais bem preparado, que conhece o local. Tenha cuidado. A recompensa, apesar das dificuldades, é máxima.

O que fazer de graça no Rio: Pedra Bonita
Pedra Bonita

Pedra Bonita:

Um dos melhores custos-benefícios quando o assunto é trilha. A vista é espetacular e a trilha, relativamente fácil. O acesso é por São Conrado.

Tem muito o que fazer de graça no Rio, não acham? Do que mais gostam na cidade? Quais dicas vão aproveitar? Deixem suas mensagens aqui e vejam muitas fotos bacanas no Instagram do De Boa na Trip.

LEIA MAIS:

Cachoeira da Concórdia, em Guapimirim: como chegar?

Conheça a Gruta da Sacristia, em Maricá

Saco do Mamanguá, paraíso em Paraty

Arraial do Cabo tem praias lindas que você precisa visitar

Deixe uma resposta