Roteiro do Deserto do Atacama, no Chile – parte I

postado em: Chile | 0

pisco2
Laguna cejar

(Atualizado em junho de 2020) Jamais vou cansar de repetir: ir ao Deserto do Atacama, no Chile, foi uma das experiências mais maravilhosas que já tive. Sou incapaz de descrever o quão lindo é esse lugar, então, só me resta mostrar mil fotos e dar as dicas para uma viagem sem perrengue. Me siga lá no Instagram (@deboa.natrip) para ver todos os registros. Segue abaixo a parte 1 das instruções para montar seu roteiro do Deserto do Atacama.


Como chegar ao Deserto do Atacama:

Primeiro, algumas informações básicas do Atacama. Ele é o deserto mais alto do mundo e se localiza no norte do país. É considerado o deserto não polar mais seco do planeta, já que as chuvas são raras por lá.

Para chegar, peguei um voo de cerca de duas horas da capital, Santiago, até Calama (aeroporto El Loa) e depois um miniônibus rumo ao centrinho de San Pedro de Atacama, onde estão restaurantes, hotéis, hostels e agências de turismo. Essa segunda parte é um percurso de 100km. Eu escolhi a empresa Transfer Licancabur, a mais conhecida por lá, mas o site deles saiu do ar. Segundo uma página sobre San Pedro do Atacama, o telefone é +56-9-99999404 e o e-mail, reservastransfer@gmail.com. Apenas informei meu horário de chegada com antecedência e eles fizeram a reserva. Outra empresa disponível é a Transfer Pampa. A viagem de ida e volta sai a 20.000 pesos (cerca de 132 reais na cotação de junho de 2020). Só a ida custa 12.000.

Porém, dei um azar gigante na época (fui em fevereiro) porque a estrada até San Pedro fechou por conta das chuvas. Por sorte, abriu depois de umas três horas, mas o trânsito estava congestionadíssimo. Foi um processo lento. Teve gente que precisou dormir em Calama no dia anterior, pois não havia qualquer chance de travessia. Portanto, é melhor ir preparado para problemas e manter contato com a empresa para ficar por dentro das condições climáticas. Falando em clima, por se tratar de um deserto, faz muito frio à noite e bastante calor durante o dia. Recomendo levar agasalhos fortes porque há passeios que saem muito cedo. É dureza.

VIAJE CONECTADO COM ÓTIMO CHIP DE INTERNET

Onde ficar:

Escolhi um hostel que nem está mais aberto. Ele ficava na Calle Toconao, uma ótima localização, por sinal. Perto das agências de turismo e do comércio. Você pode ver dicas sobre os melhores pontos para se hospedar no Atacama e depois fazer a reserva no Booking (não há qualquer custo adicional, mas você ajuda o blog a ganhar uma pequena comissão!).

Aproveito este tópico para falar também sobre alimentação. Tudo lá é bem caro. Para se ter uma ideia, um prato de frango com batata frita custa cerca de R$ 40 num restaurante melhorzinho. Então, não ache que, por se tratar de América do Sul, você gastará pouco.

Roteiro do Deserto do Atacama:

Reservei todos os passeios com antecedência por e-mail com a agência Colque Tours, cujo site também saiu do ar. Eis o telefone: +56 55 285 1109. O pagamento foi feito lá mesmo, quando entregam os vouchers. Por causa do problema da estrada fechada, acabei perdendo o primeiro tour com eles, para Laguna Cejar, às 15h. Então, recorri a uma outra agência, a Turismo Grado 10 (info@turismogrado10.com). Essa empresa conta com uma estrutura incrível, com ônibus bem equipados e espaçosos. Mas, claro, tem preços altos. Não achei o atendimento perfeito em nenhuma delas, mas nada que atrapalhasse os planos.

POR QUE É IMPORTANTE CONTRATAR SEGURO VIAGEM?

A Laguna Cejar, tema das fotos deste post, é simplesmente incrível. É um lugar no meio do nada, com um visual lindo e uma tranquilidade ímpar. Como ela tem uma concentração de sal altíssima, é possível boiar o tempo inteiro. É muito interessante. Além disso, a agência Grado 10 ofereceu pisco, a bebida típica do Chile, e um lanchinho. Curti esse momento com um belo arco-íris ao fundo. Demais!

Nos dias seguintes, fiz os passeios da Colque Tours: Lagunas Altiplânicas, Salar do Atacama, Geysers del Tatio e os vales da Lua e da Morte. Assunto para o próximo texto 🙂

Obs.: Viagem feita em fevereiro de 2013

Laguna Cejar faz parte do roteiro do Deserto do Atacama, no Chile

Laguna Cejar faz parte do roteiro do Deserto do Atacama

Deixe uma resposta