Visitar Hallstatt é um ótimo passeio bate e volta a partir de Salzburgo, na Áustria

postado em: Áustria, Europa, Hallstatt | 0
Hallstatt
Hallstatt

Hallstatt é um vilarejo muito charmoso na Áustria e uma ótima opção de passeio bate e volta a partir de Salzburgo, outra cidade encantadora do país. Considerada pela Unesco um Patrimônio da Humanidade desde 1997, está localizada a cerca de 73km de Salzburgo e fica às margens do lago Hallstatter See.

Como chegar:

A partir de Salzburgo, basta pegar o ônibus 150 até Bad Ischl, que é o ponto final (neste link você consegue ver quais são as paradas e os horários. Eu, por exemplo, peguei na estação central de Salzburgo). Cerca de 1h30 de viagem. Depois, vem a linha 542. De 20 a 30 minutos até Gosaumühle (fique atento para descer no ponto certo). De lá, opte pelo 543 até o centrinho de Hallstatt. Outros dez minutinhos.

Todos esses transportes saem a 14,60 euros (valor em 2018). Basta comprar o bilhete no primeiro ônibus, com o motorista, e ir apresentando nos outros. Na volta, é só pagar novamente o valor e repetir esses passos. Ou, se preferir, compre os dois tíquetes já na ida. Embora um pouquinho demorado, achei o trajeto de ônibus muito tranquilo.

É possível pegar um trem em Bad Ischl, mas não aconselho porque ele deixa na estação central de Hallstatt, do outro lado do lago. Então, ainda seria preciso recorrer a um barco. Se estiver com tempo e quiser apreciar a paisagem, creio que é vantajoso, pois o lugar é lindo. As embarcações costumam sair a cada 15 minutos em períodos de bastante movimento.

De carro, sem dúvida, a comodidade é muito maior, já que a viagem dura só 1h15. Contudo, é preciso ficar atento aos gastos. Quando pesquisei aluguel de carro em Salzburgo, me deparei com preços de diárias que estavam fora do meu orçamento (por volta de 85 euros em diante). Se estiver em grupo, vale a pena rachar. Aqui vai uma dica: reservar pelo site da Rentcars. Dá para comparar os valores de várias locadoras e pagar em 12 vezes sem juros (tem desconto se for por boleto bancário) em reais, sem IOF.

Ah, e ainda é necessário pagar o estacionamento em Hallstatt. Pelo que li, custa 9 euros. Aliás, recomendo chegar cedo porque, principalmente no verão, Hallstatt enche e as vagas se esgotam rapidamente. O P2 é o estacionamento mais próximo do centrinho. É bem perto da parada de ônibus, inclusive. Assim como o P3. O P1 é ligeiramente mais afastado, a uns 10 minutos de caminhada e, pelo que entendi, reservado a quem vai ficar nos hotéis de lá.

E, para os que vão sair de carro da Alemanha, é imprescindível comprar o adesivo com o passe para atravessar a fronteira, o Vignette. É vendido no próprio limite entre os países e deve ser colado no para-brisa. Lembrando que Hallstatt fica a 208km de Munique, quase cinco horas de viagem. Nesse caso, portanto, a boa é pernoitar.

O que fazer em Hallstatt:

Tire pelo menos quatro horas para conhecer tudo. Eu estava com o roteiro apertadíssimo. Então, logo na chegada, resolvi seguir para o mirante Skywalk, que fica a 350 metros de altura. Tinha lido que rolava chegar por uma trilha de aproximadamente uma hora, uma hora e meia. Para encontrar o início dela, você deve ir para a rua Müller Stiege. Lá, encontrará uma escada e verá placas. É só subir vários degraus e depois caminhar pela trilha (foto abaixo).

Hallstatt
Subida para o início da trilha
Hallstatt
Funicular

Porém, quando subi, me pareceu que o trajeto seria longo demais e eu corria o risco de me atrasar. Conclusão: optei pelo funicular. A bilheteria fica bem perto do mercado Spar, em frente ao ponto de parada de ônibus. A viagem ida e volta custa 16 euros (ou 9 apenas um trecho). Deve ser legal subir andando e descer com funicular e vice-versa.

Rola comprar o bilhete combinado com a entrada para conhecer a mina Salz Welten, a mais antiga do mundo. Hallstatt, por sinal, é muito conhecida por sua produção de sal. Custa 30 euros ida e volta de funicular e entrada na mina. Eu não me empolguei tanto para visitar e nem teria tempo suficiente. Então, dê uma olhada no site para ver se agrada e confira os preços também para famílias. Lá ainda estão disponíveis todos os horários de funcionamento.

A subida de funicular dura uns cinco minutos. O visual lá em cima é incrível. Há um restaurante no topo também. É uma delícia ficar apreciando a vista. Imagina fazer um almocinho? De volta à bilheteria, há uma lojinha, onde são vendidos vários tipos de sal, além de produtos feitos com ele. Os temperados estavam bem em conta. Depois constatei que no mercado os preços eram mais caros.

Hallstatt
Skywalk
Hallstatt
Skywalk
Hallstatt
Skywalk
Hallstatt
Skywalk (olha eu ali no cantinho rs)

Depois de tudo isso, recomendo sair andando pelas ruazinhas sem destino. Tem cada cantinho lindo por lá, várias lojinhas, cafés e restaurantes. Próximo ao mercado, está a Marktplatz e a Igreja Evangélica (pontuda). Para chegar ao Photo Point, local de onde se costuma tirar as fotos mais bonitas de Hallstatt, caminhe pela orla (rua Gosaumühlstraße). Quando passar pela Igreja Católica, saberá que está perto. Pelo Google Maps, o ponto correto é “Classic Village Viewpoint/ Postcard Angle”. Outra atração é alugar um barco para dar um passeio no lago. Há agências espalhadas pela orla. Portanto, se jogue.

Sobre almoço, comi num estabelecimento à beira do lago. O prato, truta com batatas cozidas, custou 15,90 euros. Estava delicioso, mas achei o preço um pouco salgado, considerando que se tratava de algo simples. Não achei as opção tão boas e variadas em Hallstatt, não.

Hallstatt
Marktplatz
Hallstatt
Photo Point
Hallstatt
A igreja evangélica

Onde se hospedar:

Esta parte é para quem vai pernoitar. Li críticas positivas sobre o Hallstatt Hideaway e o Seehotel Grüner Baum. Confira também outras opções e reserve.

Dicas extras:

Em Salzburgo, deixei as malas na estação central antes de embarcar para Hallstatt, já que tinha feito check-out no hotel. Os armários são excelentes. A operação é todo feita por uma máquina, que só aceita moedas e notas de 5 e 10 euros. Escolha o tamanho do armário (médio a 2,50 euros e grande a 3,50), digite o código, pague e retire seu ticket. Na volta, é só inserir o papel para destravar o armário. Rápido, prático e seguro.

Hallstatt é melhor no verão ou no inverno? Eu, pessoalmente, achei que o vilarejo tem a cara do verão. Fica tudo florido, pulsante. Mas já vi fotos do inverno e parece ser muito bonito também.

Vá com uma roupa confortável porque acabará andando bastante por lá. Ainda mais se optar pela trilha até o Skywalk.

Se precisar de água, o mercado que citei tem bons preços. Dá para comprar um lanchinho também e economizar.

 

LEIA MAIS:

Salzburg Card: entrada grátis em várias atrações de Salzburgo

Top of Europe, passeio imperdível na Suíça

Zugspitze, a montanha mais alta da Alemanha

Como é se hospedar no luxuoso Parkhotel Bellevue, na Suíça

Deixe uma resposta